La Cumbia Negra e Cômodo Marfim na Unidade Juazeiro do Norte do Sesc

Na noite de domingo (12/11), o público que chegou ao Terrreiro da Mestra Margarida, na Unidade Juazeiro do Norte do Sesc, pôde conferir de perto o som do grupo La Cumbia Negra e dos cearenses da Cômodo Marfim. Os dois grupos se apresentaram pela primeira vez na Mostra Sesc Cariri de Culturas.

Subindo ao palco com Thiago Guerra (bateria), Igor Caracas (percussão), Paulo Kishimoto (percussão), Guri (guitarra), Gabriel Guedes (guitarra) e Klaus (baixo), a La Cumbia Negra é cheia de diversidade. A começar pelos membros do grupo, residentes em São Paulo, mas naturais de diversos estados do Brasil: “Então a gente se encontrou lá, cada um de um lugar. Todo mundo com um propósito, mesmo. E ai cada um bota seu molho, a sua pimenta, o seu tempero”, conta Thiago Guerra.

Empolgado com a chegada ao cariri cearense, Thiago conta que a música instrumental da La Cumbia Negra é uma mistura de várias coisas: “A Cumbia ela tá dentro permeando todas as outras coisas que a gente faz na banda, tipo o carimbó, o rock, o maracatu, o frevo. Qualquer coisa vai estar com o molho de cumbia”, disse.

Já a banda Cômodo Marfim, do Juazeiro do Norte, participam dentro de casa da 19ª Mostra Sesc Cariri de Culturas. No show foi apresentado “A Cabeça Estendida na Viga do Braço”, mas também cinco músicas do próximo disco em primeira mão para o público.

Tendo o rock como maior influência, os cinco integrantes do grupo participam das composições dos álbuns. São eles Demógenes Siqueira (vocal e teclado), Gabriel (bateria), Alberto Dias (baixo), Felipe Lisboa (guitarra e vocal) e Lazaro Omena (guitarra) (que não pôde comparecer ao show e foi substituído por Ramon Saraiva). “Para a gente é o show mais importante da até agora. O evento de maior visibilidade. A gente já teve em alguns editais bacanas, mas esse da mostra, tanto porque é aqui, como porque é o evento alternativo mais importante do ano aqui, que tem mais bandas de fora”.

 

Notícias recentes